POSTS NOVOS

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017


E aí, tudo bem contigo? Espero que sim!

                O que é a vida se não um intervalo de tempo entre o inspirar e o expirar? O que é ela se não esse tempo cronológico? Sua fragilidade nos diz que precisamos aprender a preserva-la e vive-la da melhor forma possível.  A bíblia até nos cronometra esse tempo para se viver, de modo que o que passa é enfado e cansaço (Salmos 90.10)

                Ontem (05/02/17) perdi um grande amigo e companheiro de caminhada, Anderson Melo, jovem, 28 anos, pai, amigo, pastor, enfim, se foi repentinamente, sem tempo de despedidas longas, abraços demorados, sorrisos ou lagrimas de adeus, simplesmente se foi. Esse momento reflexivo me faz pensar na velocidade que a vida passa. Me pergunto; será que vale a pena mesmo guardarmos tantos ressentimentos? Será que é necessário mesmo, resistirmos com nosso orgulho e ego ferido, perdoar ou pedir perdão? Hoje temos o tempo de amar, abraçar, perdoar, amanhã talvez não o tenhamos mais. A vida é curta demais para ser pequena, dizia o filosofo Benjamin Disrali. De modo que não apequenamos a vida vivendo-a sem abraços, beijos, declarações de eu te amo, sorrisos.

                Em um devaneio pessoal, acredito que muitos de nós em algum momento mesmo em nossa adolescência teve o desejo de quebrar um pé, um braço para se engessar, ou quem sabe ficar internado por algo, simplesmente para receber a visita de amigos, e famílias e perceber o quanto somos queridos?! Quem nunca? Isso mostra nossa necessidade de afirmação e valorização. Karl Marx dizia que o primeiro instinto de todo ser vivo é manter-se vivo. E como podemos nos sentir vivo? Quando amamos e somos amados, quando valorizamos o outro e o respeitamos em nossas diferenças, quando superamos a nos mesmos, nosso ego e vaidade, e procuramos abreviar o tempo de decepção e frustração. Não vale a pena gastar tanta energia com esses sentimentos.

                A vida é curta demais, para atribuirmos como adão o fez no éden, todas nossas mazelas e fraquezas a outro alguém. Vale a pena olharmos pra nós mesmos e dizermos que podemos ser uma versão melhorara de si. Não vale dizer que hoje somos menos intensos no espírito ou menos assíduos em nossas comunidades de fé porque alguém nos olhou atravessado ou disse algo que nos soou mal aos ouvidos. Emoções assim nos consomem e nos fazem parar a jornada.

                Renato Russo em sua poesia dizia que é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã. Temos uma tendência de valorizar por demais o que tínhamos quando perdemos.  Uma sociedade de amor póstumo. Na vida até temos certa timidez de dizer a um amigo, pai, mãe, familiar, irmão; um Eu te amo, eu te admiro, parabéns você é show de bola.  O sábio Salomão dizia; “tudo quanto te vier a mão faça conforme suas forças, pois ao final da vida, na sepultura onde todos vamos, já não há mais projetos, valores.” . Que possamos nos tornar versões melhoradas de nossa própria humanidade.

Vida de modo que valerá a pena, gaste mais tempo com seus amigos, familiares, abrace mais, beije mais, diga mais “eu amo você, você é importante e especial” . Estude, trabalhe, sirva a Deus e acredito que nisso você se sentirá mais vivo e encontrará significado em sua existência.

Abraços.
Fabrício Tarles.

07:25 Postado por Fabrício Tarles 6

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

O Agora


O Homem é semelhante a um sopro,  os seus dias são como a sombra que passa.
Salmos 44.4

O sopro tem poder é algo, consistente dizia Davi. Mas seu  pai Salomão em Eclesiastes 1 diz que tudo é vaidade, e vaidade traduzido do hebraico para o português quer dizer “bafo” , bafo é menos, menor, mais frágil que um sopro. Vaidade tudo é vaidade, diz que não há nada na vida consistente, nos diz a cerca da fragilidade da vida, da nossa inabilidade de pensar no futuro, mas com a consciência de que o futuro só existirá se houver um agora significativo. Tudo que temos é o agora, quando o temos. Por causa da nossa inabilidade de viver os “agoras” em função das ansiedades do futuro, e talvez sequestros para o passado, roubados para sentimentos de ódio, rancor, frustração, decepção, ira, sentimento de vingança, perdemos a grande dadiva do hoje. Interessante percebermos a comoção generalizada da nação e até de outras nações a cerca da tragédia com o avião do time chapecoense, é triste pensar quantos “agoras” foram interrompidos de maneira tão bruta e inesperada. Havia ali sonhos, projetos, desejos, expectativas de títulos, retornos para casa, encontro com esposas gravidas, filhos em crescimento, mães, avós, enfim. Mas se foi, o agora foi interrompido Choramos os futuros “agoras” que deixaram de existir. E eu me questiono a cerca de algo, acho sim lindo de se ver, a comoção geral em torno desses que foram interrompidos na sua existência, e choramos sim, precisamos. É bom saber que ainda há o lado bom dentro do homem, mas me alarmo em pensar que quantos agora temos e não aproveitamos as oportunidades, abrimos mão de tantos deles por causa de sentimentos fúteis, rasos, sem necessidade. Competições, intrigas. Choramos por esses que o seu agora foi interrompido, mas não vivemos o nosso.

Sabendo tudo isso porque ainda não conseguimos viver os agoras de todo dia? Porque ainda nos prendemos a nada? Porque choramos os nossos mortos, mas não valorizamos os nossos vivos? Porque não dizemos que amamos, que gostamos que queremos perto, abraçamos, beijamos? Precisamos valorizar o vivo, o momento, o agora! Será que sempre para que seja extraída a nossa melhor parte precisamos estar sobre desgraça?

Deus nos ajude a extrairmos de nós a nossa melhor parte mesmo longe de horror e desgraça.

Uma dica de um amigo perdoe quem precisa de perdão, ame quem precisa ser amado, não acumule lixo emocional em sua alma, viva a melhor maneira possível, valorize pai, mãe, irmãos e irmãs, oportunidades da vida, tudo que eu e você temos é o hoje, o amanhã já pode não existir mais.

Que Deus abençoe você.

Grande Abraço.
Fabrício Tarles.

Comente, compartilhe!
08:48 Postado por Fabrício Tarles 1

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Farol



Em algum momento você talvez tenha dito: Ajudar os outros eu só me ferro. Se não disse com toda certeza ouviu alguém dizer isso. E em alguns casos isso não deixa ser de todo verdade. A gratidão não é uma virtude de todo ser humano.

A foto acima de um farol é proposital, a função dele é de extrema relevância para os navegadores em alto mar. A partir de sua luz eles são orientados, guiados, conduzidos, informados a cerca de questões significativas para a sobrevivência de toda a tripulação. Mas sabe, mesmo talvez com toda “ingratidão” de marinheiros e navegantes quanto ao seu valor ele continua lá, continua iluminando. A função do farol é iluminar, ser resistente as grandes ondas, fortes ondas e todas as mais tensas situações climáticas. Ele resiste, aguenta firme, e repito; Continua a Iluminar.

Não pagueis a ninguém o mal com o mal. Aplicai-vos a fazer o bem diante de todos os homens. Romanos 12.17

Já imaginou se todos nós a cada frustração, decepção gerada a partir de uma expectativa deixássemos de sermos bons, fazermos o bem, ajudar a quem precisa? Que mundo nós estaríamos hoje? Paulo a partir de Jesus nos ensina que devemos fazer o bem o tempo todo, termos paz com o outro. A sensação de “fui feito de idiota” “ah seu ingrato, te ajudei e nunca me disse um simples obrigado” é o que tem roubando-nos  de nós mesmos. Se agirmos assim, a única diferença de quem o fez com você é o contexto. Na prática é a mesma coisa. De repente fomos ingratos, insensíveis à outra mão que foi estendida pra mim. O Farol resiste aos grandes impactos sobre sua estrutura, não se abala, não perde o foco de seu proposito existencial, ele CONTINUA A ILUMINAR.

Vocês são a luz do mundo dizia o faroleiro, seu papel é permitir que eu esteja orientando a partir de você os navegantes nesse mar da vida. Tempestade são comuns ele afirma, mas não se permitam abalar, o final eu já posso ver, venci todas as coisas. Muitos precisam da minha luz que passa por você para orienta-los, por isso, não olhe muito para os impactos das ondas, nem muito menos a quantidade de vezes que eles não disseram obrigado, nem voltaram para fazer uma simples visita e ve-lo a luz do dia o quanto você comigo é importante, o faroleiro  enfatiza ao farol: continue a iluminar.

Um provérbio indiano diz que não se fazem bons marinheiros em águas calmas. Então acalme seu coração permita que em meio as águas turbulentas do seu coração, você não deixe de ser você e quem Deus o chamou para ser. Prossiga, continue porque aquele que o chamou para ser continua com você.
Grande abraço.
Fabrício Tarles.

Comente aqui em baixo e compartilhe com seus amigos.
                

05:33 Postado por Fabrício Tarles 3

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Lições que Aprendi com Minha filha #3



                
No mês de agosto eu completei mais um ano de vida. E precisei forçadamente comprar um celular, porque minha filha Alice de 3 anos, derrubou e quebrou o display, o valor de manutenção ficava inviável, então acabei usando o pretexto do aniversario para adquirir um novo. Bem, fui à loja e escolhi um que me agradava (só por curiosidade, foi o Moto G4 Plus). Estava lá todo empolgado com o novo aparelho. Passado menos de 30 dias da nova aquisição, o aparelho estava lá carregando sobre a mesa, quando então novamente Alice minha filha vem correndo bate no cabo, e o celular cai ao chão, o que acontece? O QUE? O QUE? O Display quebra novamente. Lembre-se não tem 30 dias que esse aparelho foi comprado. Obviamente na hora eu fiquei muito zangado, não gritei com ela, não bate, só disse que precisaria prestar mais atenção, ser mais cuidado enfim. Mas me contive porque eu estava realmente muito zangado, chateado, afinal eu já havia perdido outro aparelho com a mesma causa e para a mesma criança rsrsrsrsrs...

Sabe, naquele momento eu não quis muito ficar perto da minha filha, parece fútil dizer, mas estava com o emocional alterado, por mais que ela fosse minha filha eu não quis ficar em sua presença por algum momento, afinal quebrou meu celular, e não só isso, era novo rsrsrsrs, fútil eu sei. Mas sabe o que eu pude refletir sobre isso, vamos ampliar um pouco essa conversa, olha o que Paulo nos ensina:

“Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem altura, nem profundidade, nem alguma outra criatura poderá nos SEPARAR DO AMOR DE DEUS, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” Romanos 8.38-39

Diferente de mim obviamente Deus tem outra perspectiva a cerca dos nossos erros e falhas. Eu particularmente admiro os versículos acima, saber que Deus nos envolve com seu amor e misericórdia, concedendo-nos a graça da renovação de suas misericórdias a cada nosso amanhecer. Eu na minha humanidade, não consegui ficar chateado mais que alguns minutos com minha filha, afinal ELA É A MINHA FILHA, não havia nada que ela fizesse que alterasse minha paternidade sobre ela, e isso era suficiente em si só para eu ama-la. O celular quebrou, mas cedo ou tarde poderia adquirir outro, mas ver que em meio aquela situação, minha filha me olha nos olhos e me diz “dicupa papai” aquilo me desmontou, me fez esquecer de todo o problema, e querer uma única coisa, abraça-la, beija-la e brincar com ela. Não seria assim que Deus faria conosco? Imagine eu e você após nossos inúmeros erros, chegarmos a Deus com sinceridade e dizermos “dicupa papai” você acha mesmo que Deus viraria as costas? Ou ficaria chateado tempo demais porque erramos? Não tenho dúvida que não, NADA PODERÁ NOS SEPARAR DESSE AMOR.

Sobre as implicações da nossa humanidade, mediocridade, ausência de proposito eterno, Deus continua a nos olhar, sinalizando o caminho para retorno, o novo dia é a nova oportunidade de encontrar-se novamente com o amor da vida, o amor da eternidade. Que a cada “pisada na jaca” possamos olhar nos olhos do amor, e nos expor e nos lábios a sincera oração de “dicupa papai” eu vou tentar melhorar.

Jesus continua amando você, “não é mais um celular quebrado” que mudará isso!

Saber que Deus conhece tudo a meu respeito e ainda assim me ama é de fato o meu consolo definitivo."
 R. C. Sproul
Grande Abraço!

Fabrício Tarles.

Se você gostou desse texto comenta aqui em baixo e compartilhe com seus amigos!
05:59 Postado por Fabrício Tarles 13

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Negue-o


Você é um cristão? Por quê? Você acredita mesmo nisso? Ou você foi envolvido pela cultura do ocidente? O que te faz afirmar de fato que é um cristão? Tenho certeza que nem ao menos consegue se responder a essas perguntas básicas. Não consigo acreditar em você muito menos em suas palavras.

Já parou pra pensar quantas vezes você negou o Jesus que você tanto diz amar? Talvez se indague agora: quando? Jamais?! Em todo tempo! Já observou a forma como você vive a sua vida? Como se relaciona com as pessoas ao seu redor, família, amigos, funcionários, chefes desconhecidos, mendigos, pedintes? Já avaliou seu comprometimento com o que Deus colocou em suas mãos? Já se questionou quantas desistências você teve por achar que estava difícil demais, pesado demais, cansado demais? E que se esse povo não quer nada, não sou e que vou me matar por eles? paramos! CONTINUE NEGANDO JESUS!  O melhor que você pode continuar fazendo é sendo medíocre e superficial como sempre costumou fazer. Busque seu Deus quando realmente houver necessidade e dor, e quando Ele resolver todos os seus problemas novamente NEGUE-O!

Sabe aquela situação que marcou sua vida, você foi violentado (a), ofendido, afrontado, e até hoje você queima seu coração de ódio por essa pessoa, afinal quem esse ser humano pensa que é pra fazer o que fez comigo? Isso, continue alimentando esse ódio, esse ressentimento dentro de você, sem dúvida é o melhor que podes fazer, alimente esse monstro, continue NEGANDO JESUS. Afinal as lições do seu Cristo de perdoar os que te ofendem e orar pelos que te perseguem não passam de meras palavras escritas para um povo qualquer a seus 2mil anos atrás, o melhor que você pode fazer é continuar NEGANDO JESUS.

Lembra daquele líder em quem você estava cheio de expectativas, que ele era praticamente seu cristo, um dia ele caiu, errou, pisou na bola, e você claro, o abandonou, o criticou e mais do que isso, deixou tudo que sabia do verdadeiro Cristo pra trás, e hoje continua preso na dor de um líder caído, porque o tinha como seu deus. Não consegue cair em si e enxergar que você estava caído muito antes desse líder, a melhor coisa que você pode fazer, é continuar atribuindo a esse líder o seu distanciamento de Deus, continue NEGANDO CRISTO.

A pós modernidade tem gerado uma classe de cristãos, categorizado como Cristãos Ateus. Diferente dos ateus que de fato não acreditam na existência de Deus, os cristãos ateus sabem, o conhece, já até se relacionam com esse Deus momento ou outro, mas resolveram viver como se ele não existissem, cheios de si, envolvidos em um mundo onde tudo que importa “sou eu”. Nesse provavelmente  a maioria de nós nos encaixamos, onde sabemos aquilo que precisa  ser vivido, mas resolvemos passar por cima disso tudo e viver como se nada mais importasse. NEGAMOS  JESUS!

Oi, tudo bem? Calma! Parece forte e muito confrontador tudo isso não é mesmo? Mas muito disso não deixa de ser verdade não é mesmo? Quantos de nós estamos negando a Jesus todos os dias para o excesso de trabalho, as preocupações, o cotidiano, a rotina, para os prazeres da carne, para coisas tão fúteis, e esquecendo-nos do que de fato importa e é relevante pra vida?! Não sou anti lazer, anti entretenimento, eu gosto disso tudo, mas quando isso passa a de fato ser o tudo, a essência da vida se perde e nos tornamos medíocres para os propósitos maiores de nossa existência. Quantos de nós paramos ao meio do caminho, quantos de nós deixamos de fazer tudo que fomos convocados por Deus a fazer? MUITOS DE NÓS! Mas Jesus nos convida para um fardo leve e uma reaproximação desses proposito, pois aliviará nossas cargas e dores. Quero te encorajar com esse breve texto a não negar mais a Cristo, não negar mais seu propósito de vida, não negar mais aquilo que Ele na eternidade o chamou para ser e fazer.

            A bíblia nos ensina que nada pode nos separar do amor de  Deus que está em Cristo Jesus, ele nos conhece sabe das nossas limitações, e é exatamente por causa do seu grande amor e graça que ele nos perdoa e continua a nos amar. Nós de fato erramos cotidianamente e até negamos Jesus vez ou outra, mas nada como o novo dia cheio de novas porções de misericórdia nos alcançando, graça é o nosso favor imerecido.

Dá força ao cansado, e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor.
Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os moços certamente cairão;
Mas os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.” Isaías 40.29-31

Que Deus continue resinificando sua vida, fortalecendo e renovando suas forças.

Sê fiel até à morte e dar-te-ei a coroa da vida.

Grande Abraço.

Fabrício Tales

12:21 Postado por Fabrício Tarles 3

terça-feira, 23 de agosto de 2016

O que te move?


O que te move? O que move a sua vida? O que a impulsiona? O que motiva a ser, fazer, realizar? Perguntas como estas são essências para saber para onde estamos caminhando, como estamos e, sobretudo com qual motivação o fazemos.

Algumas pessoas são movidas em função do trabalho, outros pelo dinheiro, alguns por ministérios, enfim, uma coisa é bem certa todos nós temos algo que é o nosso combustível motivacional, o mecanismo impulsionador que nos move, nos faz continuar a ser e realizar. Mas, o grande X está sem se questionar, será que o que tem me movido, tem sido de fato algo significativo e essencial, ou transferimos necessidades para questões que não são das mais essenciais da vida?

Impressiono-me com o que movia homens como Martin Luther King Jr, Mandela, Gandhi, todos tinham uma causa que norteava sua vida, que os movia intensamente para realização do seu proposito. Já dizia King Jr “Se o homem não descobriu uma causa pela qual morrer, não tem porque viver”. Homens como os que citei, consumiram suas vidas por suas causas, porque isso os movia completamente, suas vidas não teriam o menor sentido se caminhassem ao oposto disso. Gandhi revolucionou uma era com sua militância pela paz e libertação da Índia. Mandela consumiu toda sua jornada em busca da igualdade de direitos entre raças, King Junior, e entre milhares de outros. Na Bíblia vemos homens como Josué, que foi movido por um amor a Deus tão grande designado a missão de dar continuidade na missão de Moisés, em conduzir o povo à terra prometida, e era consumido por esse proposito. Neemias que preferiu sair do conforto da casa do rei, para reconstruir sua cidade, seu proposito era tão intenso, o movia e o consumia a ponto de contagiar um povo para se envolver com ele em sua missão. Paulo que após encontrar-se com o criador a caminho de uma cidade, foi movido por um novo significado em existir, e gastou sua vida inteira consumido, movido para anunciar aquele com quem se encontrou, a ponto de no fim poder declarar; “Combati o bom combate, acabei a carreira e guardei a fé”, meu Deus isso é fantástico. Homens como David Brainerd que dedicou sua vida a evangelizar os peles vermelhas, a ponto de declarar;

"Eis-me aqui, Senhor, envia-me a mim até aos confins da terra; envia-me aos selvagens do ermo; envia-me para longe de tudo que se chama conforto da terra; envia-me mesmo para a morte, se for ao teu serviço e para promover o teu reino...
Adeus, amigos e confortos terrestres, mesmo os mais anelados de todos. Se o Senhor quiser, gastarei a minha vida, até os últimos momentos, em cavernas e covas da terra, se isso servir para o progresso do reino de Cristo." 

Homens que tinham algo muito maior do que suas próprias vidas viveram para realiza-las.


Retorno à primeira pergunta, o que te move? O que tem motivado você a viver? Qual o proposito pela qual você entrega tudo que deixa, e abandona tudo aquilo que pode atrapalho a realizar esse algo? Trabalho, faculdade, relacionamentos, bens, todos esses precisam ser missões secundarias da vida, se temos consumido nossos dias movendo-nos exclusivamente para esse fim, nós estamos somente existindo deixando o proposito do viver de lado.

Reinvente seu mundo, reinvente seu proposito, que tem sido um mundo inteiro em si mesmo, encontrar-se com Deus é devolver-se no outro. Ache significado nos propósitos de eternidade.

Grande abraço.
Fabrício Tarles



07:41 Postado por Fabrício Tarles 7

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Desertos



No silencio ensurdecedor que antecede toda a dor, no rosto rola a lagrima que encharca a face e salga a boca, faz tremer todo o corpo, como que fosse arrebatado dali para um universo em si mesmo, desejando só a paz interior. Das muitas vozes que tinham nos ouvidos, sussurrando tenha medo, tenha dor, posso ouvir a voz do eterno acalentando meu espirito dizendo: Tenha paz eu sou o teu Senhor.

Sempre existem clichês em meio a desertos e maremotos, podemos ouvir que todo sofrimento tem um propósito, que Deus na sua magnitude anteviu uma resolução, e não é que não o seja. É doloroso bater na porta em vão, perceber como se as promessas outrora tão palpáveis se esvaem entre as mãos, mas creio piamente que só uma fé que se abalou pode se tornar uma fé inabalável. Toda nossa humanidade implica em ser humano, com medos, temores, dores. Por isso se sobre o silencio pudermos ouvir o sussurro dos céus carregado sobre os ventos só ouviremos uma coisa; Eu continuo sendo bom!

Dias atrás pude aprender lições profundas com um amigo de caminhada de fé, ele teve mesmo que momentaneamente sua paz roubada de si a partir de um assalto. A lição que compartilhou comigo a partir dessa experiência, foi que é muito fácil maximizar os problemas e minimizar o favor de Deus, bondade de Deus. Só houve a subtração de poucos produtos. Ora, afinal jamais fora dito pelo próprio Cristo que não haveria dor, muito menos sofrimento, ao passo disso ele afirma de forma contundente que haverá si dor, mas para que tenhamos PAZ, pois por ele tudo já fora vencido. Mais uma vez podemos ouvir o sopro vindo em nossa direção dizendo: TENHA PAZ. Meros humanos frágeis, talvez reconhecer que nossa fé é tão medíocre será o caminho para encontrarmos sobre Ele a genuinidade de fé. Olhamos gigantes, muralhas furacões como o fim, mas só uma fé abalável repito, pode se tornar inabalável. Não, calma, não é tão assustador assim padecer de fé vez ou outra, mas como Pedro sobre as águas clamar: ajude-me a vencer a mim mesmo, tendo você Senhor como minha bussola. Isso é forte.

Nenhuma dor dura pra sempre, nenhum trovão, tempestade, perdura a eternidade, salmista com a maior da sobriedade a cerca do dia seguinte exclama; que toda dor, choro dura uma noite, mas ao amanhecer o sorriso poderá brotar com a esperança de um novo dia.

Prossiga avante, após todo o deserto sempre haverá espaço para um pouco mais de fé.                                                           “...O JUSTO VIVE PELA FÉ...”

Grande abraço!

Fabricio Tarles
12:06 Postado por Fabrício Tarles 7